sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

SINDSEC vence a eleição com a chapa 01 com diferença de 365 votos.



Servidores municipais foram as urnas nesta quinta-feira (18) para escolha da nova diretoria do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Canindé (SINDSEC).

Duas Chapas disputaram a eleição. A Chapa 1, teve como candidata a presidente a professora Regina Catarina Lemos Santos (NA UNIDADE PELA GARANTIA DE DIREITOS) e a Chapa 2 teve como candidato a presidente o professor Elivan Almeida Lira (TODOS POR UM SINDICATO INDEPENDENTE).
 
Após o encerramento da votação nas 17 seções, em sua maioria itinerantes, a Comissão Eleitoral iniciou o processo de apuração na sede do sindicato.

Por 
636 votos a Chapa 1, encabeçada pela professora Regina Lemos, foi eleita para o quadriênio 2018/2022. Já a Chapa 2 obteve 271 votos. Foram cinco votos brancos, 12 votos nulos, seis impugnados e um descartado. Um total de 931 votos apurados.


CHAPA 01 – “NA UNIDADE PELA GARANTIA DE DIREITOS “
DIRETORIA EXECUTIVA
Presidente: Regina Catarina Lemos Santos
Vice-Presidente: Francisco de Assis Araújo Farias
Secretário Geral: Maria Eligiane Lopes Luiz
Diretor Financeiro: Ana Celia Viana Coelho
Diretor de Formação Sindical: Francisco José Braz da Silva
Diretor de Relações de Gênero, Raças e Minorias: Ludmila Calixto Costa
Diretor de Comunicação: Antonia Aurenice Santiago
Diretor de Assuntos Jurídicos: Francisco Edval Bezerra Lima Júnior

SUPLENTES
1º Suplente: Adriana Paulino de Sousa
2º Suplente: Ana Lúcia Alves Medeiros
3º Suplente: Francisca Maria Ferreira da Silva
4º Suplente: Antonio Agailson dos Santos
5º Suplente: Maria Marlete Vieira Freitas
6º Suplente: Júlio Cesar Masceno Sousa
7º Suplente: Antonio Alves da Silva
8º Suplente: Noemia Lucio Lima

CONSELHO FISCAL
1º Conselheiro: Dalva Maria Araujo Uchoa
2º Conselheiro: Antonio Genesio da Silva
3º Conselheiro: Francisco Malberio Estevão Gomes


SUPLENTES
1º Suplente: Antonia Joelza de Oliveira Alves
2º Suplente: Marcio Cosmo Santos
3º Suplente: Antonio Wanderley Sousa Nascimento

“Língua afiada”: Ciro Gomes responde a 80 processos por danos morais só no Ceará

Fortaleza: Conhecido pela “língua afiada” e por dar pouco peso às consequências de suas falas, o pré-candidato a presidente Ciro Gomes (PDT) possui lista de pendências na Justiça à altura da fama. Apenas em ações que correm ou passaram pelo Ceará, o ex-ministro responde a pelo menos 80 processos que cobram indenizações por dano moral a adversários políticos. Todas as ações são motivadas por críticas feitas pelo candidato à imprensa ou durante palestras.
A informação tem como base levantamento do O POVO em dados do Tribunal de Justiça do Ceará (TJ-CE). Como processos contra Ciro podem ter sido abertos no Judiciário de outros estados, o ex-ministro pode responder a ainda mais ações por ataques contra a honra. A lista de adversários do ex-ministro na Justiça é grande e diversa, incluindo até o ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha (MDB-RJ), a quem Ciro chamou de “o maior bandido” do País. Outros casos incluem o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), que processa Ciro após ser chamado de “farsante” e “engomadinho que vive com o beiço cheio de botox”.
O “número 1“ da lista é o presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB), com 37 processos contra Ciro. Entre os ataques, estão os de “aventureiro, mentiroso, lambanceiro” e até pinotralha – “uma mistura de Pinóquio com irmão metralha”, explica o próprio Ciro.
Para o cientista político Oswaldo Dehon, do Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais (Ibmec), o estilo “assertivo” de Ciro não significa necessariamente um “prejuízo” ao candidato. “É difícil avaliar se ele perde com isso. O Brasil está vivendo um período de excessos de candidatos. Vários têm demonstrado esse tom, o Ciro não está sozinho”, avalia.
“Temos candidatos como Jair Bolsonaro e até o Lula, que já se notabilizaram por alguns excessos verbais”, cita. O próprio Bolsonaro é um dos que acionaram Ciro na Justiça, após o pedetista acusá-lo de ter recebido dinheiro ilegal da JBS/Friboi na campanha eleitoral de 2014.
O cientista político ainda avalia que, a julgar pelo histórico do ex-ministro, ele dificilmente alterará o tom dos discursos. “Até porque parte das redes sociais já incorporaram esse tom mais assertivo, esse linguajar popular, à candidatura. E o fato de ele se exceder não quer dizer que ele diga coisas irrelevantes ou negativas, ou coisas que o público não gostaria de ouvir“.
Adversário que já obteve a condenação de Ciro em R$ 30,6 mil por conta de ataques, o deputado estadual Capitão Wagner (PR) condena o estilo do ex-ministro. “Criticar é natural, agora acusar, caluniar, criar factoides atribuindo crime a alguém, isso não faz parte do jogo político. Isso é crime e ele tem que responder por isso”, diz.
A reportagem tentou contato com Ciro Gomes, mas não obteve resposta de sua assessoria. Em entrevistas recentes sobre os casos, no entanto, o candidato tem feito pouco caso dos processos, chegando diversas vezes a “aproveitar a deixa” para reiterar as acusações contra adversários. Nos autos dos processos, a defesa de Ciro alega que as afirmações seguem apenas a liberdade de expressão. Em alguns dos casos, ela alega ainda que o tom “assertivo” faz parte do jogo eleitoral, sendo o próprio Ciro alvo de diversos ataques pessoais.
Quem tem mais ações contra Ciro
EUNÍCIO OLIVEIRA (MDB) Autor de 37 ações por dano moral, já foi chamado de “aventureiro, lambanceiro, mentiroso” e até “pinotralha”
GAUDÊNCIO LUCENA (MDB) Braço-direito de Eunício, move cinco processos contra Ciro, que já acusou Gaudêncio de fazer tráfico de influência
CAPITÃO WAGNER (PR) Já foi acusado de chefiar “milícia ligada ao narcotráfico” diversas vezes por Ciro. Já obteve condenação, em 1ª instância
Quem já processou o ex-ministro
EDUARDO CUNHA (MDB-RJ) Alvo recorrente, Cunha já processa o ex-ministro há vários anos. Num dos embates, Ciro o chamou de “maior bandido do Brasil”
JAIR BOLSONARO (PSC-RJ) Processou Ciro, após o ex-ministro dizer que Bolsonaro recebeu dinheiro ilegal da JBS/Friboi na campanha eleitoral de 2014
JOÃO DORIA (PSDB-SP) Ingressou com ação contra Ciro em julho passado, após ser acusado de enriquecer com dinheiro público
MICHEL TEMER (MDB) Ciro foi condenado a pagar indenização de R$ 30 mil a Temer após chamá-lo de “ladrão fisiológico” e “chefe de quadrilha”
FERNANDO COLLOR (PTB-AL) Justiça condenou Ciro a pagar R$ 100 mil de indenização a Collor. Em 1999, o ex-ministro disse que Lula deveria ter chamado Collor de “playboy safado” e “cheirador de cocaína” nas eleições de 1989
FERNANDO HENRIQUE CARDOSO (PSDB) Ciro foi condenado em 2008 por ter dito que o ex-presidente tinha “horror a preto, pobre e nordestino”
*80 processos por dano moral contra Ciro Gomes tramitam ou passaram pelo Ceará
*37 dessas ações são movidas pelo senador Eunício Oliveira (MDB).
(O POVO – Repórter Carlos Mazza)/ do O Povo Online

Comandante do Batalhão fala sobre caso de estupro de criança, envolvendo sargento em Quixadá

Região Central: uma noticia revoltou a população de Quixadá na manhã desta quinta-feira(18), quando o portal Revista Central tornou-se público o caso de um estupro envolvendo um sargento da Polícia Militar. Todos os demais veículos de comunicação da cidade se omitiram em divulgar o caso, populares dizem que é em virtude do acusado não ser um pobre da favela teriam sem dúvida estampando até os rostos.
Sobre o assunto, o Comandante do 9º Batalhão da Polícia Militar, Tenente-Coronel Calixto disse que só tomou conhecimento após a reportagem. Acrescentou ainda, que a ocorrência não foi atendida por policiais militares, motivo que a noticia não constou no relatório enviado a imprensa.
Calixto ressaltou que compareceu a Delegacia Regional de Polícia Civil para se inteirar dos fatos, e que as medidas serão adotadas. Cita ainda, que jamais deixaria de constar essa ocorrência, se tivesse a PM atendido a ocorrência.
Conforme reportagem, no bairro Campo Novo, um sargento da Polícia Militar está sendo acusado de estuprar um menino de apenas 12 anos. O pai da vítima trabalhava com o acusado, na função de servente de pedreiro, inclusive o caso ocorreu em uma obra.
O pai fez a denuncia na Delegacia Regional de Polícia Civil de Quixadá, que em seguida foi expedido a guia de corpo de delito, no Instituto Médico Legal-IML de Quixeramobim. A vítima trata-se de um menino que mora no Assentamento Jean Silva.
Sem dúvida, os policiais sérios jamais compactuariam com atitude dessa natureza, principalmente em Quixadá, que a população tem a honra de contar com homens da PM dignos de respeito e admiração.

Estado é condenado a pagar R$ 50 mil a esposa de detento morto na penitenciária da Pacatuba

Imagem relacionadaO estado do Ceará foi condenado pelo titular da 4ª Vara da Fazenda Pública do Fórum Clóvis Beviláquia, juiz Mantovanni Colares Cavalcante, a pagar indenização de R$ 50 mil para esposa de detento morto na Penitenciária Francisco Hélio Viana de Araújo, na Pacatuba, Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). A decisão foi publicada no Diário da Justiça dessa terça-feira, 16. 

No dia 14 de abril de 2014, agentes penitenciários encontraram, por volta das 7 horas, o detento desacordado dentro da cela, nas dependências da penitenciária. Após a realização da Perícia foi constatada que a vítima morreu em consequência de asfixia mecânica. 

Segundo a apuração preliminar de policiais militares que estiveram presentes no momento da perícia, o detento foi vítima de um espancamento. A vítima deixou esposa e três filhos. A viúva ingressou com ação na Justiça requerendo indenização por danos morais. Além disso, buscou a indenização por danos materiais no valor de aproximadamente R$ 336 mil, referentes aos 44 anos e seis meses que restariam de vida para a vítima, conforme a expectativa de vida do brasileiro. 

 O Estado, por sua vez, afirmou que a ação criminosa foi um fato totalmente imprevisível ao âmbito da administração estadual, alheio à vontade das partes, pois foi decorrente de rebelião instaurada pelos detentos. Quanto à reparação material, sustentou que os danos emergentes e os lucros cessantes não podem ser presumidos, nem se admite que sejam estipulados com base em mero depoimento, ausente a real demonstração de diminuição patrimonial. 

Ao julgar o caso, o magistrado destacou que, “considerando que o detento foi assassinado enquanto se encontrava sob a responsabilidade do Poder Público, este há de ser responsabilizado em termos civis”. 

Também explicou que “a parte autora litiga por danos materiais em valor único, quando deveria ter formulado pedido mediante pensão mensal. Deste modo, é incabível a condenação do promovido em danos materiais, conforme precedente do Superior Tribunal de Justiça”.

O juiz ressaltou ainda que “não se mostra possível, então, atender ao pedido formulado quanto ao dano material, pois, do modo como foi formulado tal pedido, tem-se uma demanda de natureza condenatória (obrigação de pagar) contra o Estado do Ceará, quando, na verdade, de acordo com a jurisprudência apresentada, deveria configurar uma demanda de natureza mandamental – obrigação de fazer, imputada ao promovido”.

Motorista reclama que foi multado por “olhar para o lado” em cruzamento de Fortaleza

Alguma coisa aconteceu no cruzamento entre as ruas Edilson Brasil com Núbia Barroca, em Fortaleza. O piauiense Rhannaldy Benício, de 24 anos, foi multado por olhar para o lado. Pelo menos é o que está escrito na justificativa da multa enviada pela Autarquia Municipal de Trânsito (AMC) 15 dias depois. A imagem do documento compartilhado nas redes sociais gerou muita discussão.
O agrônomo conta que, em dezembro, foi multado por fazer um retorno proibido no mesmo local. No entanto, explica que desconhecia a sinalização. Ele faz o trajeto entre a Sapiranga, bairro onde mora, para o Edson Queiroz para visitar clientes pelo menos duas vezes por semana.
“Nesse mesmo cruzamento, tomei uma multa de retorno proibido. Fui fazer retorno, o guarda estava lá, vi o guarda, mas não sabia que era proibido porque não tinha visto a placa. Fui multado. Desde então, ando esperto pois me avisaram que o carro da AMC sempre está ali. Aí, uns oito dias depois, fui passar. Eu estava todo certinho, com o cinto, com o calçado adequado, só que eles estavam escondidos atrás do muro. Aí passei, quando olhei pra trás para saber se estavam lá, foi aí que me multaram. Porque olhei para trás pra saber se a viatura estava lá. Aí, dias depois, chegou a multa porque olhei pro lado”, explicou Rhannaldy.
A infração foi enquadrada em “Dirigir sem atenção ou sem os cuidados indispensáveis à segurança”, com “olhando para os lados, condutor em trânsito”, como observação. A infração teria sido cometida às 14h49, de acordo com a notificação recebida. A multa a ser paga é de R$ 234,78, além de três pontos a menos na carteira.
Radicado no Ceará há três anos, Rhannaldy ainda não pode ir à AMC reclamar, pois a semana foi de agenda cheia. Colação de grau, noivado e o trabalho com artesanato. No entanto, pretende fazer isso ainda nesta semana. Ele tem 30 dias para recorrer.
Resposta da AMC
A Autarquia Municipal de Trânsito (AMC) informou em nota que, se o condutor for flagrado “dirigindo e olhando para os lados curiosamente, com desatenção às condições e segurança do trânsito” está incurso com infração de trânsito, falta prevista no Art. Nº 169 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB).
De acordo com a referida legislação, dirigir sem atenção ou sem os cuidados indispensáveis à segurança é uma infração de natureza leve. “Mesmo com previsão no CTB, esse é um tipo de infração que corresponde a menos de 1% do total de multas aplicadas pelo órgão. Portanto, a notificação só é feita quando realmente a postura do condutor está comprometendo a segurança, contribuindo para eventual ocorrência de um acidente”, afirma a AMC em nota.
A AMC garantiu que está apurando o caso para verificar as circunstâncias da referida autuação. “Como toda multa é passível de recurso, o condutor pode recorrer alegando suas justificativas em uma das Juntas Administrativas de Recursos de Infrações (JARI). O processo é simples e pode ser feito através do aplicativo AMC Móvel ou em uma das centrais de atendimento”.

Bandidos invadem fórum de Maranguape após juiz decidir que cadeia será exclusiva de uma facção

Resultado de imagem para Bandidos invadem fórum de Maranguape após juiz decidir que cadeia será exclusiva de uma facçãoO fórum do município de Maranguape, a 27 km de Fortaleza, foi invadido na madrugada desta quinta-feira (18) por membros de uma facção criminosa. O local teve salas arrombadas e paredes pichadas.
O caso aconteceu um dia após o Sindicato dos Policiais Civis de Carreira do Estado do Ceará (Sinpol) receber denúncia de que a juíza da cidade teria expedido portaria que permite que a cadeia pública receba somente membros de uma facção específica.
Para Cláudio Justa, presidente do Conselho Penitenciário do Ceará, trata-se de ações terroristas e o Governo do Ceará precisa declarar estado de emergência.
Homens armados renderam o vigilante, roubaram as armas do local e, além disso, deixaram ameaças nas paredes, assinando com a sigla da facção criminosa, através de pichações. Francisco Lucas de Oliveira, presidente do Sinpol, foi informado por policiais de que a portaria determinava que a Cadeia Pública de Maranguape só receberia presos de uma facção e os outros ficariam na delegacia.
Na terça-feira, caso semelhante aconteceu na cidade de Senador Pompeu, cidade a 280 km de Fortaleza. Um grupo de criminosos conseguiu transferir um preso. O juiz, o delegado e o promotor da cidade foram ameaçados. Um dos suspeitos foi preso. O delegado William Lopes confirmou a prisão e disse que estão sendo feitas buscas para encontrar os outros bandidos envolvidos no crime.
“São ataques terroristas, de intimidação do Estado. Essas facções conhecem a vulnerabilidade do sistema público e penitenciário. Todos nós conhecemos essas deficiências, mas fazer um recuo a uma ação terrorista e intimidatória não é bom. Acompanhamos esses remanejos reativos forçados com preocupação. Cumprir ordens de facção se assemelha ao que acontece nas comunidades. Agora, determinar isso para o Estado? Não é a transferência em si, mas o efeito simbólico. Imagina a visão da comunidade… Eles agora estão mandando no juiz, no promotor, na segurança pública. Isso amplia simbolicamente o poder dessas facções”, avalia o presidente.
Cláudio Justa condena o ato de aceitar as exigências dos criminosos e alerta que o Governo do Estado precisa pensar ações estratégicas para conter essas ações.
“O Estado não pode fazer isso (aceitar exigências dos criminosos). Efetivamente, o Estado é mais potente do ponto de vista técnico e de aparato de força. Cabe uma estratégia melhor, bem pensada, mas o que não pode é recuar. Isso é um ato terrorista. Não dá para obedecer ordem de terroristas. Não se negocia e não se rende a ordem de terrorista. De imediato, penso que é fundamental duas providências: reforçar a segurança e não obedecer essas exigências. Se eles estão querendo que remaneje, não remaneja”, concluiu Cláudio Justa.

quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Servidores escolhem nesta quinta-feira (18) a Nova Diretoria do SINDSEC

Resultado de imagem para sindsec
O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Canindé SINDSEC realiza nesta quinta-feira (18) a eleição para escolha da Nova Diretoria. 1.361 servidores (a) filiados estão aptos a votar nesta eleição.
Duas Chapas estão na disputa pelos votos dos servidores (a): Chapa 1, que tem como candidata a presidente a professora Regina Catarina Lemos Santos (NA UNIDADE PELA GARANTIA DE DIREITOS) e a Chapa 2, que tem como candidato a presidente o professor Elivan Almeida Lira (TODOS POR UM SINDICATO INDEPENDENTE).
São 17 seções, em sua maioria, itinerantes. A votação inicia às 8 horas da manhã e encerra às 17 horas, sendo que na sessão permanente que funciona na sede do sindicato a votação será encerrada somente às 18 horas.

Postagem em destaque

SINDSEC vence a eleição com a chapa 01 com diferença de 365 votos.

Servidores municipais foram as urnas nesta quinta-feira (18) para escolha da nova diretoria do Sindicato dos Servidores Públicos Municip...